A Indústria 4.0, a Economia Circular e o Emprego: um modelo prospectivo de desenvolvimento

Autor: Fernando Manuel Silva (PhD, Académico/Empresário, Presidente da ARENABAT – Agência Regional de Energia e Ambiente do Barroso e Alto Tâmega, Presidente da FLG – Fundación Luso Galaica (Por Portugal))

PREÂMBULO

A indústria, como o conjunto dos sectores de base transformadora (onde habitualmente se inclui a energia) é, por si só, considerada um segmento estratégico da economia por variadas razões, a saber:

  1. Em todos os Países Europeus, a indústria é um dos sectores mais produtivos, apenas atrás do sector das TIC’s, e muito à frente de outros tantos, tais como, a construção, o comércio, ou os serviços de hotelaria e restauração.
  2. A indústria é o sector que mais inova. Na Europa, a indústria transformadora é a responsável por 65% da I&D+i de cerca de 49% dos investimentos realizados em inovação.
  3. Os bens industriais representam mais de 70% das exportações de mercadorias, a nível mundial.
  4. A indústria é o sector, que mais investe na formação e na retribuição e que os maiores salários oferece. Na Europa e em especial, nos Países nórdicos, os salários na indústria encontram-se em média 21% acima dos praticados no sector dos serviços.

Para continuar a ler, faça já a sua assinatura.

Assinatura Revista “segurança”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *